Notícias

CURIONÓPOLIS – ALUNOS DA REDE ESTADUAL DE ENSINO FAZEM PROTESTO

protesto3A falta de merenda escolar, problemas nas estruturas dos prédios, falta de transporte escolar e de professores de algumas disciplinas levaram os alunos das duas escolas do Estado Tancredo Neves e Almir Gabriel a fechar a Av. Minas Gerais e o acesso à escola em protesto. A manifestação acontece desde a manhã de hoje, segunda-feira dia 19 quando centenas de alunos colocaram carteiras e com cartazes pedem as melhorias. Os alunos também saíram pelas ruas do munícipio com carro de som e cartazes chamando a atenção da comunidade local para o problema.

Ventilador caído na Escola Almir Gabriel
Ventilador caído na Escola Almir Gabriel

Na Escola Almir Gabriel os problemas estruturais são tão graves que um ventilador de teto caiu por falta de manutenção e chegou a atingir um aluno, também têm entulhos em algumas salas e não tem merenda e falta até professor”, disse uma aluna do terceiro ano.

Segundo dados da 4ª UNIDADE REGIONAL DE EDUCAÇÃO DE MARABÁ (URE), em 2015 a Escola Estadual de Ensino Médio Dr. Tancredo de Almeida Neves matriculou 844 alunos, já a Escola Almir Gabriel 340 totalizando 1.184 alunos que se dizem prejudicados com os problemas nas unidades de ensino.

A diretora da Escola Tancredo Neves, professora Maria do Amparo Costa Silva informou que já fez solicitação dos professores que estão em falta e explicou porque essa ausência: “Duas professoras entraram em processo de aposentadoria no final de junho e o professor de educação física teve o contrato de dois anos findado, por isso de agosto para cá ficamos sem os professores das disciplinas de português, literatura, inglês, artes e educação física”, explicou a diretora.

Forros do teto também está danificado
Forros do teto também está danificado

Segundo Amparo foram feitas cinco solicitações de contrato para professores esse ano, e duas foram atendidas. As disciplinas de física e sociologia solicitadas pela diretora foram atendidas e os profissionais estão trabalhando desde o início de agosto. Ficando pendentes três contratações que atenderiam as disciplinas restantes tanto na Tancredo quanto na Escola Almir Gabriel.

Quanto à estrutura física da escola, a diretoria informou que esse ano foi feita uma mine reforma, e que uma nova reforma foi solicitada e no dia 03 novembro uma equipe de engenheiros da Secretaria de Educação do Estado – SEDUC fará uma visita técnica para avaliar as necessidades, incluindo reforma geral da quadra poliesportiva: “Essa é também uma grande necessidade da comunidade escolar”, disse a diretora.

A diretora informou também que o ano letivo de 2015 deve ser concluído só em fevereiro de 2016 como consta em planejamento feito após o fim da greve dos servidores da educação: “A preocupação dos alunos é que fiquem com dependência nas matérias que faltam professores, mas acredito que isso não vá acontecer e que essa situação será resolvida em breve”, comentou a diretora.

Sobre o transporte a merenda escolar a diretor afirmou que já foi solicitada uma solução para o problema: “Entendemos que é de necessidade básica, e desde agosto estamos tendo o problema que acredito será resolvido em breve” comentou a diretora. Sobre o transporte para buscar os alunos específicos do Estado à diretora informou que os alunos estão sendo trazidos para escola no transporte que trás os alunos do município.

Prorª Amparo - Diretora da Tancredo
Prorª Amparo – Diretora da Tancredo

Amparo disse ainda que semana passada esteve na Secretaria de Estado de Educação com a subsecretária Vera Couto e levou as demandas da escola: “Além de irmos sempre que possível a Belém, também vamos uma vez por semana a Marabá na 4ª URE onde levamos as demandas das escolas, temos por certo que o Estado irá sanar todas as questões em essencial dos professores”, disse.

Até o fechamento dessa matéria tentamos contato com a SEDUC, através dos e-mails da Assessoria de Imprensa, mas não obtivemos respostas. Também tentamos contato com Alcinara Jadão coordenadora da 4ª URE que não atendeu ao telefone, nem respondeu as mensagens enviadas por meio de um aplicativo de bate papo online.

O Ministério Público também recebeu as demandas dos alunos e pediu um prazo para estudar a situação e entrar em contato com a SEDUC para dar um parecer final.

ATUALIZAÇÃO – Às 11h27 minutos horário local a coordenadora da 4ª URE entrou em contato com Repórter30 e reforçou o que há havia explicado a diretora Amparo, que duas servidoras entraram e processo de aposentadoria e que, após o processo é dado início a outro processo de contratação de novos servidores para substituir os afastados.

Duas professoras entraram pra aposentadoria, o Regime Jurídico Único – RJU libera o servidor a partir de 91 dias que deu a entrada na sua aposentadoria se não houver nenhum impedimento legal. O servidor fica aguardando a aposentadoria e a carga horária é liberada e outro entra em seu lugar. Esta sendo providenciada a contratação dos substitutos das duas que se aposentaram”, a coordenadora.

Veja também

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close

Adblock Detectado

Considere nos apoiar desabilitando o bloqueador de anúncios