Na noite do dia 13 foi constatado que o reservatório de água do bairro Jardim Panorama estava desperdiçando de forma exorbitante uma quantidade considerável de água, o vazamento ocorria pelo ‘ladrão’, dispositivo colocado antes da borda das caixas d’água para evitar vazão por todos os lados.

Na manhã do dia 14 a água continuava jorrando como mostra o vídeo amador produzido pela equipe do Repórter30, tanto que, na Rua Florianópolis que faz cruzamento com a  Av. Presidente Vargas onde está instalado o reservatório água se espalhou bastante descendo pela sarjeta confirmando o desperdício.

Manhã do dia 14 ainda jorrava água
Água jorrando na noite do dia 13

Água jorrando na noite do dia 13

A equipe do Repórter30 entrou em contato com a assessoria de imprensa da empresa e além de indagar sobre esse desperdício também questionou a ausência e de um gerente responsável permanente no Posto de Atendimento de Curionópolis e sobre o início das obras de coleta e tratamento de esgoto, o contrato prevê o atingimento da meta de oferta do serviço de coleta e tratamento de esgoto para 40% da população em até 10 anos.

Em respostas aos nossos questionamentos a Odebrecht Ambiental esclareceu que o caso do desperdício de água no reservatório o problema é “em função de furtos da fiação utilizada no controle automático da bóia do reservatório em questão, houve vazamento de água. O problema já foi detectado e o equipamento necessário para realização da manutenção está sendo adquirido pela concessionária e a manutenção necessária será realizada”.

Sobre a ausência de um gerente responsável permanente na agência da Odebrecht em Curionópolis a empresa informou que o município conta com o apoio de um Gerente Regional e tem líderes locais responsáveis pela operação. “Esse modelo de gestão é adotado pela empresa em todas as concessões que possui. Esse modelo permite que todos os serviços de atendimento, manutenção e operação dos serviços nas cidades atendidas pela Odebrecht Ambiental recebam o mesmo apoio técnico que garante qualidade e regularidade”, disse a assessoria de imprensa.

Por fim em relação ao início das obras de coleta e tratamento de esgoto a Odebrecht informa que as realizações das obras de esgotamento sanitário em Curionópolis obedecem ao previsto no contrato de concessão. Esse contrato prevê o atingimento da meta de oferta do serviço de coleta e tratamento de esgoto para 40% da população em até 10 anos.

CONTRATO – O contrato inicial entre concepcionária do fornecimento de água e tratamento de esgoto iniciou no final de 2007 na gestão do ex-prefeito Curió entre o município e a empresa Saneatins, que passou a ser chamada de Foz/Saneatins, em seguida apenas Foz e hoje quem responde pelo contrato é a empresa Odebrecht Ambiental.

Em sua apresentação no site institucional a empresa informa que a Odebrecht Ambiental é a mais completa empresa de soluções ambientais para o setor industrial brasileiro e tem atuação em dezenas de clientes nacionais e internacionais das áreas de petróleo, mineração, siderurgia e petroquímica por meio de variados tipos de serviços. Além disso, realiza a captação e distribuição de água e coleta e tratamento de esgoto em mais de 180 cidades brasileiras, algumas do porte de Recife e Rio de Janeiro.