Notícias

Empresa afirma: “Projeto Serra Pelada não vai parar”

Valder-era-presidente
Projeto começou em 2007, na época Valder era presidente e Célio Sá já o acompanhava.

Depois de cinco dias do clima de tensão em Serra Pelada o presidente da Coomigasp, Valder Falcão em nome dos demais diretores solta nota no site da entidade em que repudia a manifestação dos garimpeiros, e chama de “metralhas” os líderes que convocaram o movimento.

Na nota o Valder diz: “A Trupe dos Metralhas,  não respeitaram a ordem do Comandante e forçaram a barra, porém foram recebidos á bala, Spray de Pimenta, bomba de efeito moral,  alguns saíram baleados do local, inclusive o Metralha Amarildo Gonçalves,  foi baleado com bala de Borracha”.

Curiosamente o texto defensivo não segue padrões de comunicação corporativa como deveria ser feito no domínio da maior cooperativa de garimpeiros do distrito de Serra Pelada. Apesar da nota, informações de fontes deram conta que o presidente da Coomigasp estaria em Belém durante as manifestações onde tentava desbloquear o repasse feito pela Colossus por meio judicial depois que o promotor Hélio Rubens instituiu um Termo de Ajustamento de Conduta – TAC.

Fontes revelam que as finanças da entidade estariam equilibradas já que a Brasil Século III, empresa que fechou parceria para explorar a montoeira estaria depositando fielmente repasses de adiantamento para a cooperativa.

Já a Colossus informou em uma reunião realizada dia 30 em Parauapebas que vai continuar a implantação do projeto Serra Pelada Companhia de Desenvolvimento Mineral. Esta foi a principal mensagem de Alexandre Cancian, Gerente Administrativo da Colossus Mineração, em reunião com parte dos empregados nesta sexta (30), em Parauapebas.

O objetivo da reunião foi atualizar com as últimas informações do projeto os profissionais que trabalham nas obras da SPCDM e que se encontram impedidos de exercer suas atividades em razão da presença de um grupo de 200 manifestantes, que permanece no local.

A implantação da mina industrial de Serra Pelada alcançou 85% das obras, e este projeto é um dos mais importantes investimentos em andamento em Curionópolis (PA), com R$ 600 milhões aplicados. Cerca de 65% dos empregados do projeto é residente na vila de Serra Pelada. “A empresa entende que nossos empregos são nossa maior preocupação. Mas estamos com salários em dia e seguimos sempre nos ajustando e superando as dificuldades. Assim que nosso direito de trabalhar seja garantido, vamos continuar”, reafirmou.

Enquanto isso, ele orientou aos profissionais do projeto que compartilhem as informações da reunião com os demais colegas e que manifestem sua opinião livremente, com responsabilidade e compromisso. Os profissionais da Colossus Mineração serão informados pela comunicação interna sobre o pleno retorno às atividades.

Veja também

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close

Adblock Detectado

Considere nos apoiar desabilitando o bloqueador de anúncios