MarabáNotíciasRegião

Nova fábrica gera emprego e renda em Marabá

Ao fomentar a ampliação da atividade industrial, o governo do Pará cria um ambiente favorável para a dinamização da economia e geração de emprego e renda em todas as regiões do Estado. Entre as empresas que manifestaram interesse no mercado paraense está a Mercúrio, que inaugurou oficialmente, nesta quarta-feira (4), no Distrito Industrial de Marabá, na região sudeste, sua mais nova fábrica de correias transportadoras no País. A cerimônia contou com a presença do vice-governador Zequinha Marinho, secretários de Estado, fornecedores, empresariado e autoridades locais.

“Este é um momento especial, pois é um passo a mais que a indústria paraense dá, uma vez que esta unidade é referência para o Norte e Nordeste do Brasil. Entendemos que sua instalação tem grande relevância em função da geração de emprego, da verticalização de alguns produtos da nossa região e por viabilizar alguns mercados”, afirmou Zequinha Marinho.

Com 72 anos de existência, a Correias Mercúrio se consolidou como a principal fabricante do segmento no mercado brasileiro, além de ser a maior produtora de correias de cabo de aço da América do Sul, com produção de mais de 16 mil toneladas de correias ao ano. A instalação do empreendimento em Marabá representa um investimento de R$ 100 milhões. A unidade, primeira a produzir correias transportadoras no Norte do país, já opera em três turnos, devido à alta demanda de produção.

“O Pará foi escolhido pelas questões de infraestrutura local, a seriedade do Governo do Estado, e as possibilidades que foram apresentadas para nós, desde o ponto vista do terreno no distrito industrial, até a receptividade e o apoio do Estado e da prefeitura de Marabá. Tudo isso fez com que a Mercúrio, ao estudar entre Estados do Norte e Nordeste do Brasil, elegesse o Pará, e estamos muito felizes pelo sucesso que a fábrica vem tendo aqui”, destacou o CEO da Mercúrio, Ivan Zanovello Ciruelos.

As correias transportadoras desempenham um papel fundamental em setores de base, como a siderurgia, agronegócio e a mineração. O material produzido no Pará irá suprir com maior eficiência a demanda das indústrias instaladas na região, assim como abastecer as dos demais estados do Norte, Nordeste e Centro Oeste, atendidas pela fábrica da empresa em Jundiaí, São Paulo. A nova unidade está instalada em uma área de 100 mil metros quadrados e tem capacidade de produção de 7 mil toneladas/ano.

A instalação do empreendimento em Marabá representa um investimento de R$ 100 milhões

“Esta indústria representa um novo momento em que o Estado, a região sudeste do Pará, Marabá e os municípios mineradores, buscam fazer com que a mineração traga mais conquistas sociais e econômicas. O fato de você comprar esses insumos não em outros locais, mas fabricá-los no próprio Estado para oferecer para as mineradoras daqui, permite que a gente possa ter mais empregos e mais circulação econômica na região, além de criar a cultura da verticalização das nossas matérias-primas”, explicou o secretário de Desenvolvimento Econômico, Adnan Demachki.

Atualmente o Brasil é o maior mercado consumidor de correias transportadoras da América do Sul. Com a fábrica de Marabá, a unidade de Jundiaí vai direcionar parte de sua produção também ao mercado internacional.

Mão de obra – O início das operações representa a abertura de 200 postos de trabalho diretos e indiretos, número significativo diante do atual cenário econômico nacional que ainda sofre com os efeitos da crise. Para priorizar os fornecedores e a mão de obra local, a empresa realizou parceria com o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai) que ofertou cursos gratuitos específicos para a qualificação dos seus funcionários. Entre os moradores do município que fazem parte da equipe está Raylisson Bruno Pires Gonçalves, 26 anos, que atua na área de qualidade da fábrica. O jovem que estava desempregado há seis meses viu na empresa a oportunidade de crescimento profissional.

“Sou formado em engenharia de materiais e estava desempregado quando soube dessa oportunidade. Uma área totalmente diferente daquilo que eu era habituado, mas ofereceram capacitação em tecnologia da borracha para a mão de obra local que foi admitida pela empresa. Com a crise, a gente estava em um cenário muito ruim, mas agora com a instalação da fábrica está começando a melhorar, pois quanto mais ela cresce, mais vai admitindo novos colaboradores e isso contribui também para o crescimento da cidade”, conta Raylisson Gonçalves.

Além dos recursos humanos, a concepção da fábrica também levou em consideração a questão ambiental, com a adoção de tecnologias com menor impacto para a natureza, redução do desperdício e a destinação adequada de resíduos, com 100% dos efluentes tratados. Sua estrutura foi concebida dentro do modelo lean manufacturing, que apresenta os mais avançados conceitos e as melhores práticas produtivas, bem como estratégias inovadoras de produção para resultados de alto desempenho.

“O Pará foi escolhido pelas questões de infraestrutura local, a seriedade do Governo do Estado, e as possibilidades que foram apresentadas”, destacou o CEO da Mercúrio, Ivan Ciruelos

“Esse é um investimento de quase R$ 100 milhões que aumenta a capacidade da empresa em quase 30%. Para o Estado do Pará traz desenvolvimento, empregos qualificados, ajuda o desenvolvimento da região e de Marabá, além de ficarmos mais integrados à economia do Pará, já que boa parte dos nossos clientes estão localizados aqui e estão relacionados a cadeia de mineração. É extremamente importante e gratificante estarmos aqui concluindo esse investimento”, finalizou o CEO da Mercúrio, Ivan Ciruelos.

Por: Lidiane Sousa

Veja também

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close

Adblock Detectado

Considere nos apoiar desabilitando o bloqueador de anúncios