O Pará é o estado que concentra os casos de assassinatos por conflito agrário no Brasil, segundo o mais recente levantamento da Comissão Pastoral da Terra. Em 2014, das 36 vítimas registradas no país, nove mortes ocorreram no Pará.

Historicamente marcado por crimes ligados a conflitos agrários, o Pará apresentou crescimento de 50 % no número de assassinatos: foram seis casos em 2013, contra 9 em 2014.

“Isso é resultado de um processo de violência permanente no Pará, especialmente nessa região de expansão do agronegócio na Amazônia”, diz José Batista Afonso, advogado do CPT Marabá.

Alarmante, a violência no campo não dá sinais de trégua: em 2014, aumentou o número de tentativas de assassinato. De 15 tentativas em 2013, o número saltou para 56 em 2014, crescimento de 273% no Brasil. No Norte, o crescimento foi de 0 para 32, sendo 28 dos casos no Pará.

“A raiz o problema está na falta de democratização do acesso à terra. Enquanto não houver a reforma agraria, esses conflitos tendem a aumentar”, argumenta Alberto Pimentel, coordenador da Sociedade de Defesa dos Direitos Humanos (SDDH).

G1-PA