Raimundo Lopes recebe explicações do projeto Curimãs

Raimundo Lopes, presidente da COOMIC acompanha de perto todas as obras que envolvem a cooperativa. Foto: Wenderson Costa

Pelo menos oito empregos já foram gerados com o início das obras do projeto de exploração dos Curimãs, no garimpo da Cutia. O reaproveitamento será feito pela J.A. Caldeira, empresa que firmou parceria com a Cooperativa Mista do Garimpo da Cutia – COOMIC em abril deste ano.

“Para iniciar as obras estávamos esperando algumas máquinas e equipamentos, alguns já estão no projeto e começamos as atividades com 50% da mão de obra local”, explicou Reginaldo Barbalho, diretor da empresa parceira. Ao todo, até o momento, estão operando uma Pá Carregadeira, uma Escavadeira e três caminhões caçamba.

O projeto ainda não tem estimativa de produção, mas já se sabe que o teor de ouro remanescente é significante, segundo Barbalho, diretor da J.A. “Quando resolvemos investir na região conhecemos outras áreas, mas nenhuma tinha um teor de ouro como essas curimãs da Cutia, por isso entendemos que o investimento valeria nessa área seria compensador”, explicou.

As áreas para estocagem das pilhas, represas e lavagem do minério já estão prontas e aguardam que os caminhões transportem todas as Curimãs de outra área onde estão, até o setor de beneficiamento, cerca de dois quilômetros de distância.

A implantação do projeto está animando moradores da vila e gerando renda, foi o que confirmou Antônio dos Reis, o ex-garimpeiro disse: “Se nós moradores não dermos oportunidade para as empresas se instalarem, estamos impedindo que ela venha a gerar empregos e dê renda para nossa a região”.

A participação da COOMIC nos lucros do projeto é de 12%, percentual livre de qualquer investimento e que é muito significante, ainda mais levando em conta que os Curimãs estavam perdidos: “Já não estava dentro da área da cooperativa há muito tempo e reaver esse percentual livre é muito importante para toda sociedade garimpeira da COOMIC, e nossa missão como diretor”, comemorou Raimundo Lopes, presidente da cooperativa.

Máquinas trabalham na cosntrução do campo society

Maquinas trabalham na construção do campo society. Foto: Wenderson Costa

Projetos – Ainda durante a visita a Cutia o presidente acompanhou o andamento da execução do primeiro projeto de melhoria na qualidade de vida dos moradores da Cutia, a ser realizado pela COOMIC o Governo Municipal, Estadual empresas privadas e instituições governamentais.

O campo de futebol society está entre os seis projetos apresentados em um panfleto informativo que foi produzido no mês passado. A área que fica em frente a sede da COOMIC já está sendo planeada e expectativa é que até novembro o campo já esteja pronto.

“Isso é muito bom para nós da vila, o campo além de ser uma forma de atividade física e lazer para moradores vai atrair mais pessoas da cidade, de Serra Pelada e das vilas aqui próximo, com isso melhora até o rendimento dos pequenos comércios da vila”, disse Recruta, ex-garimpeiro e morador da Cutia.

“Estamos acompanhando de perto tanto a implantação dos três projetos de mineração, que por sinal estão indo muito bem graças a Deus. Mas também vamos dar toda atenção aos projetos sociais que vão melhorar muito a vida dos moradores da Cutia”, afirmou. “Também vamos trabalhar tão logo projetos que atendam os sócios que não estão mais na Cutia, o plano de saúde é um deles, e estamos quase finalizando o projeto” finalizou o presidente Raimundo Lopes.

Além do campo society os projetos para a Cutia incluem um Centro Comunitário, Oficina de Artesanato, Horta Comunitária, Posto Policial e uma UTI Móvel destinada à vila.