Notícias

PROMOTORIA DISCUTE ACORDO ENTRE VALE E AGRICULTORES QUE FORAM VÍTIMAS DE AGRESSÃO

O Ministério Público do Estado do Pará, através da Promotoria Agrária de Marabá, representada pela promotora Jane Cleide Silva Souza, conduziu reunião nesta segunda-feira (3) sobre o caso da família de agricultores que foi agredida por seguranças da Empresa Vale no último dia 27 de março.

A notícia da agressão teve repercussão na mídia, chegando inclusive a ser publicada em jornais estrangeiros. A providência foi tomada como forma imediata de tentar acalmar os ânimos entre as partes, na área do imóvel rural das vítimas com a área do Projeto S11D da Empresa Vale.

Durante a reunião a representante do Ministério Público esclareceu às partes as cláusulas de acordo formado junto à Vara Agrária de Maraba, que segundo as vítimas não teria sido integralmente cumprido.

Participaram da reunião, além da promotora da Região Agraria de Maraba, Jane Cleide, a assessora de segunda entrância Helhia Cristina Medeiros Candido, os advogados e preposto da Empresa Vale, advogado da Empresa Prossegur, que faz segurança na área do conflito, a família de lavradores agredida e o advogado da família.

A agressão

O fato ocorreu em Canaã dos Carajás. O agricultor Jorge Martins dos Santos e seu filho Thiago Sales dos Santos estavam em sua fazenda e foram pela manhã, juntamente com outros trabalhadores, fazer reparos em uma cerca para impedir que o gado da família se perdesse em meio à área pertencente à Vale, que fica ao lado da fazenda, onde a empresa desenvolve o Projeto S11D. Conforme afirmado pelos agricultores, a mineradora nunca cumpriu a ordem da Justiça de construir um cercado em todo o terminal ferroviário.

No momento em que estavam fazendo o conserto apareceram dois seguranças da empresa que questionaram a atividade e os acusaram de invasão. Após um telefonema outros guardas apareceram no local, encapuzados, com armamento pesado, spray de pimenta e facão. Em seguida partiram para cima do agricultor e seu filho e renderam todos os outros trabalhadores que ali estavam presentes. Os dois foram espancados no local. Após a chegada da mãe de Thiago, uma cunhada e um sobrinho de três anos deste, os seguranças foram embora.

Texto: Ana Paula Lins com informações da PJ Agrária de Marabá
Revisão: Edyr Falcão
Fotos: PJ Agrária de Marabá e Reprodução Facebook

Veja também

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close

Adblock Detectado

Considere nos apoiar desabilitando o bloqueador de anúncios