Uma lista com 19 nomes de possíveis contratados pela mineradora Vale para atividade na mina do Serra Leste causou alvoroço na comunidade de Serra Pelada, segundo os moradores a mão de obra local não esta sendo priorizada pela mineradora.

Representantes Vale e Telmo Sousa - Subprefeito de Serra Pelada

Representantes Vale e Telmo Sousa – Subprefeito de Serra Pelada

Em decorrência dessa situação a comunidade convocou a Vale para uma reunião que aconteceu conforme programado na manhã de hoje na Escola Ângela Bezerra na vila. Na reunião estiveram presentes dezenas de jovens que esperam por uma oportunidade de trabalho e o subprefeito Telmo Souza.

Ramon Marques lembrou que a comunidade quer ser parceira da Vale e apoiar a mina, mas observou: “Essa parceria tem que ser recíproca e o primeiro passo é transparência da empresa com a comunidade”, o morador lembrou ainda que: “Não temos pessoas só para trabalhar de motorista, temos vários profissionais qualificados para outros postos de trabalho”.

O subprefeito ponderou sobre a demanda social da vila e o quanto essas vagas de emprego são importantes, Temo Souza lembrou ainda que é importante ter a Vale instalada no município, mas é essencial que isso beneficie a comunidade principalmente com a geração de emprego e renda.

Comunidade vai aguardar  as novas vagas surgirem

Comunidade vai aguardar as novas vagas surgirem

Na oportunidade também foram cobradas ações em relação a uma empresa de recrutamento  de pessoas que supostamente estaria facilitando o ingresso de pessoas na empresa. Aproveitando o ensejo a comunidade também cobrou mais atenção da mineradora no sentido de contra partida socioeconômica afim de gerar emprego e renda para aquela comunidade.

Durval Lopes Supervisor de Operação que está atuando como responsável pela gestão da operação, processos e pessoas da usina de beneficiamento de Serra Leste não confirmou a existência dos nomes, mas que iria se aprofundar no assunto e que quarta-feira dia 27 daria uma resposta sobre essa lista.

Para Durval é importante preferenciar a mão de obra local em decorrência não somente do compromisso social que segundo ele: “é muito importante”, mas também pelo custo benefício. Desse ponto de vista também ilustrou Nubia Rezende, gerente de RH do projeto, para ela trabalhadores da vila reduziriam custo com translado, evitaria problemas caso a estrada de acesso estivesse fechada.

O compromisso feito pela mineradora através dos representantes foi de pegar 40 currículos de pessoas da comunidade para deixar em uma lista de espera e à medida que fossem surgindo às vagas eles iam dar oportunidade para esse pessoal.

Uma mostra que a vila tem mão de obra altamente qualificada é Rosa Maria, Pós Graduada em Psicopedagogia Institucional com experiência de mais de três anos como Analista de Relacionamento com Comunidades e que a mais de um ano espera uma oportunidade de trabalho.

Mão de obra tem, pessoas qualificadas tem, o que falta são oportunidades”, comentou um morador de Serra Pelada.