Notícias

Vereador agride namorada da filha

O presidente da Câmara de Vereadores do município de Firmino Alves, no baixo sul da Bahia, suspeito de ter agredido a namorada da filha mais velha, de 18 anos, após ter flagrado as jovens juntas no quintal de casa no dia 7 de outubro, confirmou que é contra o relacionamento das duas, mas que atacou a jovem porque confundiu as duas com ladrões, já que o local estava escuro.

Em depoimento à polícia, a namorada da filha do vereador Edmílson Freitas contou que foi agredida com pauladas na cabeça e que filha do edil foi ferida com facão. A vítima relata que foi puxada pelos cabelos, teve o dedo quebrado e ainda apresenta outros hematomas pelo corpo.

“Havia tido casos de roubo de galinha no meu quintal, então eu estava desconfiado que poderia ser um ladrão de galinha. Quando saí na janela que eu olhei para o quintal, eu vi uma sombra passando no muro, no escuro. Eu tomei logo um susto de primeira, me arrepiei todo e perguntei:’ Quem é você?’ E essa pessoa continuou calada, estática e me olhando. Eu peguei o facão e desci para me defender. Aí eu vi duas pessoas correndo. Foi na hora que eu soltei o facão no escuro. Eu bati nas pernas das duas. Quando elas foram pular as taboa [sic], que a menina veio de lá para cá, que ela entrou pelo quintal do prefeito e depois pulou essas taboas para entrar no meu quintal, foi a mesma taboa que elas iam pular de volta, que eu percebi que era minha filha e ela. Queria dar uma surra na minha filha, vou ser sincero. Eu queria dar uma surra porque eu percebi o que estava acontecendo”, relatou o vereador.

Edmílson Freitas afirma também que é contra o relacionamento das duas. “Eu sou contra, eu não aceito. Porque eu criei minha filha para casar com homem e ter filhos e eu ser avô”, disse.

Depoimento

À polícia, a filha do vereador confirmou o namoro com a adolescente de 16 anos, mas não quis falar sobre as denúncias de agressão apresentadas pela namorada. A esposa do presidente da Câmara relatou que, no dia do episódio, escutou barulho no quintal  e pensou que alguém estivesse assaltando as galinhas. Logo em seguida, ela disse que já encontrou marido e filha dentro de casa.

Já a mãe da adolescente que fez a denúncia, Rosenildes da Silva, que também é conselheira tutelar, afirma que a agressão só acabou quando uma colega de trabalho, que é parente da família do vereador, chegou ao local.

A delegacia de Itororó, que investiga o caso, afirma que irá indiciar o vereador por agressão à mulher, por meio da Lei Maria da Penha.

Veja também

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

VOCÊ VIU ISSO?

Close
Close

Adblock Detectado

Considere nos apoiar desabilitando o bloqueador de anúncios