Solidariedade: Família busca ajuda para salvar visão do filho

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on google
Share on linkedin

O relato está nas redes sociais e já conta com dezenas de compartilhamentos, contudo, o mais importante nesse momento é a união de todos e a solidariedade. Abaixo o relato da família e ao final a explicação de como você pode ajudar nesse momento complexo e de risco. Leia todo texto e ajude a salvar a visão do jovem Jonas.

“Meu nome é André Reis Aragão. Em 16 de maio de 2017 eu e meu marido, Jonas Gomes da Conceição, assinamos no Cartório do 1º Ofício Emílio Gallo, em Parauapebas, interior do Pará, nossa Escritura Pública Declaratória de União Homoafetiva. Assim, oficializamos nossa união. Enfim casados. Nesse mesmo ano, como sempre sonhamos, nos inscrevemos no Cadastro Nacional de Adoção (o Jonas também havia sido adotado, ainda quando bebê) e em dezembro de 2017, recebemos de presente nossos três filhos. Sim, três de uma vez! Fábio, Kenedy e Pablo. Foi a primeira adoção legal por casal homoafetivo em nossa cidade. Nossos três filhos já eram irmãos e moravam há anos no Acolhimento Institucional para Crianças e Adolescentes Esperança, em nossa cidade, por conta de situações de violência que haviam sofrido. E como eram crianças mais velhas, havia pouquíssima probabilidade de serem adotados. Mas vieram para nós. Hoje o Fabio tem 16 anos, o Kenedy 13 anos e o Pablo tem 11. Essa é a nossa família.
Ainda quando criança, Jonas descobriu que era diabético. Possui diabetes tipo 1. É dependente de insulina. Atualmente usa a Lantus e a NovoRapid. Sua diabetes sempre foi muito agressiva e difícil de manter controlada e, em 2018, ele quase perdeu o pé esquerdo. Conseguimos lidar com essa situação e vencemos essa batalha. Contudo, em agosto de 2020, descobrimos que o Jonas tinha desenvolvido retinopatia diabética. A diabetes estava comprometendo os vasos sanguíneos dentro da retina. E a doença avançou muito, muito rápido. Buscamos tratamento em nossa cidade (injeções, laser) mas não demorou muito para sermos surpreendidos com o deslocamento da retina do olho esquerdo. Partimos para a cirurgia. Mas as coisas não evoluíram como esperávamos e o Jonas perdeu a visão no olho esquerdo. Passado pouco tempo, o olho direito começou a apresentar problemas também. Aneurismas que estouraram, hemorragia, áreas que começaram a ficar isquêmicas e sem nutrição. Atualmente, ele possui somente 10% da capacidade de visão do olho direito, diminuindo com o passar do tempo, à medida que mais áreas vão ficando sem nutrição e isquêmicas. Nossa oftalmologista, Dra. Camila Xavier, da Clínica Visare, em Parauapebas/PA e o Dr. João Carlos Otoni, no Centro de Diagnóstico e Medicina Avançada, em Marabá/PA concluíram que nossa melhor alternativa seria buscar o especialista que é a maior referência para esses casos, o Dr. André Maia, na Retina Clinic em São Paulo/SP, em uma última tentativa de preservar pelo menos a visão que Jonas ainda possui.
Jonas é pintor. Desenha desde criança. Seus momentos de maior prazer são quando está às voltas com as telas e as tintas. Não à toa, era professor nas Oficinas de Desenho no Centro de Referência de Assistência Social do Rio Verde, um dos CRAS de Parauapebas, atuando com crianças e adolescentes em situação de vulnerabilidade.
Temos agenda para consulta com o Jonas em São Paulo dia 02 de fevereiro. Nossa oftalmologista nos orientou que ele provavelmente solicitará todos os exames novamente (retonigrafia, tomografia de coerência óptica, microperimetria, angiografia) e possivelmente voltaremos para Parauapebas para nos organizar rapidamente e então ir novamente para São Paulo para fazer uma nova cirurgia. Ela também nos adiantou que deveremos ficar umas duas semanas em São Paulo no momento da cirurgia. Depois ficaremos voltando de tempos em tempos para o acompanhamento.
Pois bem. A Dra. Camila nos informou que este procedimento cirúrgico que necessitamos é caro. Algo em torno de R$ 60.000,00 e definitivamente não possuímos essa quantia. Por isso estamos fazendo essa campanha, uma vaquinha virtual, em uma tentativa desesperada de levantar esse dinheiro. Não temos muito tempo.
Você pode conhecer o Jonas e nossos filhos, nas redes
A família
Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on google
Share on linkedin

Comente com o Facebook

Mais de