Notícias

AUDIÊNCIA PÚBLICA: XINGU-RIO TERÁ POUCOS POSTOS DE TRABALHO EM CURIONÓPOLIS

No início da noite de ontem, terça-feira dia 29 o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis – IBAMA realizou Audiência Pública em Curionópolis para apresentar EIA – Estudo de Impacto Ambiental e RIMA – Relatório de Impacto Ambiental do Sistema de Transmissão Xingu-Rio. A Audiência aconteceu no Clube de Mães Irmã Adelaide e reuniu centenas de pessoas direta ou indiretamente impactadas pelas linhas de transmissão.

Rose Hofmann - IBAMA
Rose Hofmann – IBAMA

Rose Hofmann diretora de licenciamento do IBAMA presidiu a Audiência que foi aberta com apresentação explicativa dos passos para um licenciamento ambiental, incluindo as audiências que fazem parte desse processo, um técnico do Instituto fez a apresentação.

O empreendedor apresentou as informações pertinentes ao empreendimento que corresponde a Linha de Transmissão em Corrente Contínua de ±800 kV Xingu – Terminal Rio, 2.518 km; vale ressaltar que Curionópolis está entre os 78 municípios que serão cortados pela linha de transmissão, contudo a Linha terá uma extensão de apenas 59 quilômetros no município, matematicamente isso deve representar pouco mais de 170 postos de trabalho com base no que explicou Anselmo Leal representante da empresa: “Nossa previsão de ter mais de oito mil postos de trabalho ao logo de toda obra da linha de transmissão, o que dividindo corresponde a aproximadamente três trabalhadores por quilometro”, explicou.

Anselmo apresenta o empreendimento
Anselmo apresenta o empreendimento

Para Curionópolis restam apenas às compensações das faixas de servidão, área que o proprietário da terra cede para o empreendimento e que corresponde a aproximadamente 120 metros de uma margem a outra tendo ao centro a linha de transmissão, podendo manter o cultivo desde que atenda as recomendações do empreendedor, também para o município restam os impostos gerados pelo empreendimento.

Ricardo Felix da Concremat Ambiental empresa contratada para fazer os estudos de impactos ambientais e sócio econômicos apresentou os dados quem em síntese mostra maior impacto no meio sócio econômico que representa 53% dos impactos contra 21% para o meio físico e 11% para o meio biótico.

Ricardo Felix fala dos impactos socioambientais
Ricardo Felix fala dos impactos socioambientais

Concluindo a Audiência os proprietários rurais e comunidades afetadas fizeram suas indagações e solicitações em especial buscando contra partidas em benefícios para vicinais, escolas e postos de saúde e ouviram do empreendedor que toda responsabilidade socioambiental será cumprida a fim de mitigar os impactos. Com ressalva do que for realmente diretamente afetado pelo empreendimento.

A EMPRESA – A chinesa State Grid Brazil Holding venceu o leilão para contratação do segundo sistema de transmissão da energia a ser gerada pela hidrelétrica de Belo Monte, no Pará. A disputa aconteceu na sede da BM&FBovespa, em São Paulo.

Morador impactado questiona as contra partidas
Morador impactado questiona as contra partidas

A empresa ofereceu R$ 988 milhões, um deságio (diferença entre o valor máximo fixado pelo edital e do lance vencedor) de 19% em relação à remuneração máxima anual permitida, de R$ 1,2 bilhão. A State Grid é uma estatal chinesa que está no Brasil desde 2010, quando adquiriu sete companhias nacionais de transmissão de energia. A empresa é a detentora da Xingu-Rio

INVESTIMENTOS – O chamado segundo bipolo de Belo Monte vai escoar energia do rio Xingu, no Pará, para a região Sudeste, até o município de Nova Iguaçu (RJ). A licitação envolveu um único lote com 2.550 km de linhas de transmissão e 7.800 MW de capacidade instalada em duas subestações conversoras.

EXPLICANDO – Houve uma grande expectava nessa Audiência em relação à continuação do projeto da Abengoa o ATEXXI, mas é importante esclarecer: ATEXXI é uma coisa, se refere à linha de transmissão Xingu-Parauapebas e Parauapebas-Miracema, essa linha de transmissão cortaria 100 quilômetros de Curionópolis e também teria uma subestação no município, acontece que, com a decadência da Abengoa esse projeto parou, e defende agora de um novo Leilão.

Xingu-Rio é outro empreendimento em nada tem a ver com ATEXXI e nem com Abengoa. Agora fica a duvida e a SEPCO1? Essa é uma empresa Chinesa que na verdade é uma empreiteira e trabalha para a BMTE – Belo Monte Transmissora de Energia, empreendimento que tem outra concessão da linha e transmissão. Todos esses empreendimentos fazem parte do projeto de expansão do Sistema Interligado Nacional – SIN.

Simplificando seria assim: Abengoa ATEXXI teria duas linhas de transmissão Xingu- Parauapebas / Parauapebas Miracema (esse empreendimento está parado com retorno após novo leilão). Já a Xingu-Rio trata-se de uma linha de transmissão Anapu/Rio. E por fim BMTE – LT(CC) +800 kV Xingu/Estreito.

Ou seja, a subestação e a previsão de mais de 800 empregos geradas pela Abengoa em março do ano passado não existe mais, até que uma nova empresa ganhe o leilão dessa linha de transmissão.

VEREADORES – De Curionópolis apenas o vereador Wilson Ferreira – PMDB, participou da Audiência, também não houve registro de presença dos vereadores eleitos para o pleito 2017/2020 apesar da importância dessa Audiência para o munícipio.

Veja também

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close

Adblock Detectado

Considere nos apoiar desabilitando o bloqueador de anúncios