PRESIDENTE DE COOPERATIVA É ACUSADO DE AGREDIR SOBRINHA POR CAUSA DE IMÓVEL

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on google
Share on linkedin

Quer saber de uma coisa, eu não vou desocupar casa nenhuma, eu vou ficar lá o tempo que eu quiser”, foi isso que Crislane Macedo dos Santos relatou no Boletim de Ocorrência registrado na Delegacia de Polícia de Curionópolis. O imóvel em questão está localizado na Rua do Sereno em Serra Pelada e teria sido alugado pela Cooperativa Mista Agro Mineral do Rio Sereno –  COOMASE, através do presidente Valmir Macedo.

Segundo a jovem a casa teria sido alugada no dia 04 de março de 2013 e que desde então não teria recebido nenhum centavo referente ao aluguel. Ainda segundo Crislane houve várias tentativas de receber o valor ou ao menos a casa, até que no dia 23 de outubro foi até a Cooperativa onde ouvir de Valmir que ele iria desocupar a casa.

Em companhia de um senhor de prenome Francisco, que estava interessado em alugar o imóvel a jovem disse que aceitou o acordo de Valmir desocupar a casa, mas quando caminhava até o carro do amigo foi surpreendida pelo presidente da cooperativa que teria lhe puxado pelo dedo e a ameaçado inclusive de morte, segundo Crislane: “Ele já me ameaçou várias vezes e sempre fala comigo usando palavrões, dessa vez ele quebrou meu dedo”, relato da jovem colhido no B.O. da Polícia.

Procurado por nossa equipe Valmir disse que as acusações são infundadas: “Houve realmente um desentendimento, ela me agrediu usando do fato de ser minha sobrinha, mas não a agredi fisicamente, apenas a expulsei como expulso qualquer um que for me agredir na Cooperativa, na minha casa ou na rua”, disse Valmir.

Segundo Valmir foi isso que houve e reforçou: “As pessoas gostam de polemizar porque sou pessoa pública, mas o ônus da prova cabe a quem acusa, cabe a ela provar, por que eu tenho testemunhas que não a agredi”. No dia seguinte o presidente da cooperativa viajou ainda segundo ele porque tinha compromisso em Brasília.

centro
Inauguração do Centro Social no imóvel em questão.

Centro Comunitário – A casa em questão foi alugada com intuito de ser mantido um centro social em Serra Pelada, lá deveria ter médico, dentista e atividades esportivas e de formação profissional, mas o atendimento durou pouco tempo e o presidente chegou a justificar para nossa equipe dizendo: “Estou atrás de recursos, pois é muito caro para manter o centro na vila, tem que conduzir médico, dar estadia uma série de gastos”.

Valmir é bem relacionado no município estando sempre acompanhado de políticos e autoridades locais. Inclusive trabalhou como secretário na Promotoria de Curionópolis onde galgou estreito relacionamento com o promotor Hélio Rubens Pinho, o qual sempre usa como referencia afirmando: “O promotor é meu amigo”.

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on google
Share on linkedin

Comente com o Facebook

Mais de