SERRA PELADA – ÍNDIO, DA GLÓRIA DO OURO, AO SEPULTAMENTO SEM POMPA

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on google
Share on linkedin
Índio ao lado de John Jessé em Serra Pelada
Índio ao lado de John Jessé em Serra Pelada

José Mariano dos Santos, o Índio, dono de muitas histórias, dentre elas uma das mais famosas a comprou 100 passagens de um Boeing 737 porque queria chegar ao Rio de Janeiro sem demora. Mas a extravagancia não parou por ai, Índio, na Cidade Maravilhosa Índio passou dois meses de luxúria no Copacabana Palace. Se calcularmos a diária mais barata do Hotel de luxo, hoje em torno de 600 reais, Índio gastaria nos dias de hoje cerca de 36 mil reais. Motivo da viagem e estadia no hotel ir atrás de Terezinha, dançarina de Sidney Magal. Índio ainda comprou 11 carros de uma só vez, três apartamentos em Belém, casou 14 vezes, e estourou todo dinheiro com luxo, mulheres e curtição.

Extrovertido Índio mantinha alegria até mesmo diante das dificuldades
Extrovertido Índio mantinha alegria até mesmo diante das dificuldades

Mais foi no ultimo encontro com o ex-garimpeiro, durante uma visita do jornalista inglês Matt Sandy e do fotografo Maurício Lima em que a equipe do Repórter30 teve a honra de acompanhar que pudemos ouvir as muitas histórias do intrépido e divertido Índio. “A frase, se pegasse o mesmo dinheiro hoje, faria tudo de novo, ficou em minha mente, quando Matt fazia a entrevista essa foi à resposta dada a pergunta do jornalista inglês, e era essa resposta que ele costumava usar sempre que alguém perguntava o que faria se tivesse todo esse dinheiro nos dias de hoje” relatou o editor do R30, Wenderson Costa.

O bamburro não foi pouca coisa não, exatos 1183 quilos de ouro, hoje a cifra de R$ 147.283.500,00, se tiver difícil à leitura, vamos por extenso, cento e quarenta e sete milhões, duzentos e oitenta e três mil e quinhentos reais. O que você faria com esse dinheiro todo?

Atualmente Índio se recuperava de um derrame, sofria de hipertensão arterial, provavelmente o que causou sua morte, e estava com 61 anos de idade. Estudava, sonhava em se formar e foi alfabetizado lá mesmo, em Serra Pelada, sua ultima conquista foi à construção de uma casa onde afirma ter gastado cerca de 150 mil reais, dinheiro recebido de uma indenização de uma área que tinha e foi negociada com uma mineradora.

A vida chega ao fim sem a pompa que foi vivida, mas era possível ver no semblante de Índio que não se arrependia, suas palavras confirmavam isso. Pela história, exemplo seja de como viver como não viver ou como se superar o Repórter30 em nome de seus diretores, Wenderson Costa e John Jessé presta essa ultima homenagem. Vá em paz!

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on google
Share on linkedin

Comente com o Facebook

Mais de