Notícias

Delegada do Pará lança livro sobre compartilhamento não autorizado de conteúdo íntimo na internet

A delegada da Polícia Civil do Pará, Vanessa Lee Araújo, lançou, neste sábado, 16, em Belém, o livro “Vingança Digital: Compartilhamento Não Autorizado de Conteúdo Íntimo na Internet, Procedimentos de Exclusão e Investigação Policial”. A obra escrita pela policial civil paraense em parceria com o delegado da Polícia Civil do Piauí, Alessandro Barreto, aborda as investigações de crimes cometidos na Internet.

A obra escrita pela policial civil paraense em parceria com o delegado da Polícia Civil do Piauí, Alessandro Barreto

O lançamento foi realizado na loja Sol Informática, na Avenida Visconde de Souza Franco, no Reduto, e contou com grande presença de policiais civis, profissionais do Direito e outros interessados no tema. A obra literária faz parte da coletânea “Série Pensamentos Acadêmicos”, da Editora Mallet, e aborda a temática e aspectos referentes à violência de gênero, conceitos e tipificação para explicar e orientar, de forma clara e objetiva, ao público em geral interessado no tema dos crimes virtuais.

Diretora da Divisão de Prevenção e Repressão a Crimes Tecnológicos (DPRCT) da Policia Civil, a delegada conta que usou um pouco de sua experiência como policial para desenvolver a temática do livro.

“Com essa revolução tecnológica na atual sociedade da informação, as Delegacias de Polícia como um todo passaram a receber muitos casos, em especial, de violência contra as mulheres na Internet.

No início, acreditava-se de que se tratavam de crimes previstos na Lei Maria da Penha, que abrange a violência doméstica e familiar contra a mulher, mas, com o tempo, constatamos que era uma violência de gênero pela condição de ser mulher”, explica. A obra, explica a policial civil, aborda sobre as novas formas de violência que se adaptaram às novas tecnologias da informação e da comunicação.

“Verificamos que era importante escrever sobre isso para mostrar para as pessoas o que estava ocorrendo e de outro modo também colocar modelos para que as vítimas pudessem solicitar a retirada dessa violação de Direitos Humanos da Internet”, salienta. No livro, há o projeto de lei que trata dos crimes virtuais e também modelos de documentos (petições) que podem ser adaptados tanto por advogados quanto por delegados e promotores de Justiça para serem utilizados como referência por magistrados,para buscar a retirada de conteúdo íntimo da Internet. O livro conta ainda com informações sobre procedimentos que permitem, tanto aos órgãos de Polícia Judiciária quanto às vítimas ou seus representantes legais, atuar de forma a assegurar a preservação das pessoas vitimadas e, principalmente, como proceder para retirada de conteúdos lesivos às pessoas da rede mundial de computadores.

Veja também

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close

Adblock Detectado

Considere nos apoiar desabilitando o bloqueador de anúncios