CurionópolisNotíciasRegião

Vale “ressuscita” projeto Cristalino

A imagem abaixo é da audiência do COEMA que aprovou em 2009 a LP do projeto Cristalino

Debatido desde 2009 o projeto Cristalino previa a época de suas audiências públicas que seria formado uma cava a céu aberto, uma correia transportadora de longa distância, uma usina de beneficiamento – com capacidade para processamento de 16 Mt/a e produção de 100 mil toneladas de cobre em concentrado; duas pilhas de estéril e uma pilha temporária de minério; uma barragem de rejeito e duas barragens de captação de água.

As audiências aconteceram 20 de agosto de 2009 em Canaã dos Carajás e no dia 21 em Curionópolis e encerraram no dia 22 em Marabá, levando esperança a comunidade de Curionópolis.

Em 29 de agosto de 2009, durante reunião do Conselho Estadual de Meio Ambiente (Coema) do Pará, realizada na sede da OAB em Belém, foi aprovada por unanimidade a liberação da Licença Prévia ao Projeto Cristalino (VEJA AQUI), um empreendimento da Vale para extração de cobre, nos municípios de Curionópolis e Canaã dos Carajás. Apesar de ter a licença prévia aprovada a nove anos o projeto ainda não teve sua implantação.

No dia 29 deste mês, há exatos nove anos, o prefeito de Curionópolis Adonei Aguiar – DEM, recebeu em seu gabinete os representantes da Vale, Adler Silveira, diretor do Projeto Cristalino, e Luiz Veloso, gerente de Relações Institucionais da empresa, apresentaram informações relacionadas ao Projeto que fará a exploração de cobre, em Curionópolis.

Foi informado ao prefeito que a empresa protocolou um Termo de Referência do projeto, junto a Secretaria Estadual de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semas), e aguarda os encaminhamentos legais. A previsão da Vale é implantar o Projeto Cristalino em 2022, dependendo da emissão das licenças da Secretaria de Meio Ambiente e Sustentabilidade do Estado (SEMAS).

“Vamos explorar a lavra no município de Curionópolis e processar o minério em Canaã dos Carajás, por conta da estrutura que já tem lá e que suporta esse minério, e nós estamos trabalhando justamente na sinergia de datas para que quando o minério do Sossego, lá de Canaã, estiver em uma fase de exaustão, a gente possa começar a receber o minério do Cristalino e continue mantendo o mesmo nível de produção de cobre na região”, explicou Adler Silveira.

Também foi explicado na reunião que o repasse de Compensação Financeira por Exploração Mineral (CFEM) do Projeto Cristalino será direcionado ao município de Curionópolis, sede do projeto.

Participação Popular – Apesar de não haver relação direta, e da localização geográfica ser diferente, a ação da Vale logo após manifestos e pequenos mineradores que pleiteiam uma área na região do Sereno em Curionópolis chamou a atenção. “Nesse momento é muito importante que a comunidade fique atenta as oportunidades e cobre celeridade da Vale e do Governo do Estado para que esse projeto seja definitivamente realizado” comentou um morador de Curionópolis.

Se concretizada a previsão de implantação para 2022 o projeto irá completar 13 anos de espera, visto que teve suas primeiras audiências em 2009, como informado acima.

Veja também

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close

Adblock Detectado

Considere nos apoiar desabilitando o bloqueador de anúncios