PROFESSORA FICA FERIDA APÓS IMPEDIR ENTRADA DE ALUNO EM SALA

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on google
Share on linkedin

Uma professora da Escola Estadual José Alves de Assis, em Casera, a 256 km de Palmas-TO, tentou impedir a entrada de um aluno na sala de aula e foi agredida. Valdirene Carvalho sofreu um corte na sobrancelha e precisou ser levada ao hospital da cidade.

Valdirene conversou com o G1 nesta segunda-feira (11), primeiro dia de aula após o caso. A agressão ocorreu na última quinta-feira (7), quando faltavam apenas 15 minutos para o fim da aula e causou revolta nas redes sociais.

A professora contou que estava lecionando para o 8º ano do ensino fundamental, quando um aluno de 17 anos saiu da sala. Segundo a docente, ela sempre avisa aos estudantes para não saírem do ambiente sem pedir autorização.

Minutos depois, o aluno retornou para a sala. Valdirene disse para o estudante que ele não poderia entrar no recinto. “Ele ficou revoltado, me xingou e deu um chute na porta. Com o impacto, fui arremessada para o meio da sala. No momento, os alunos me levantaram e eu percebi que estava ensanguentada“, explicou. A professora foi levada ao hospital, onde recebeu dois pontos na sobrancelha. “Na hora eu chamei a polícia, registrei ocorrência e a escola comunicou o Conselho Tutelar“, disse a professora.

A agressão deixou a professora assustada. “Isso nunca havia acontecido comigo em quase cinco anos de profissão. Aqui na escola também nunca havia acontecido isso antes“, afirmou.

O caso ganhou repercussão nas redes sociais. Uma professora da cidade resolveu postar a foto em que Valdirene aparece com o rosto cheio de sangue. A educadora cobrou justiça e segurança no ambiente escolar.

O secretário da escola, Ademar Araújo, informou à reportagem que a direção está em reunião para definir o que será feito a respeito do caso.

Seduc

Procurada, a Secretaria da Educação, Juventude e Esportes (Seduc) afirmou que o caso foi repassado ao Conselho Tutelar de Caseara e que a família do aluno comunicou à escola que o adolescente será transferido para outra unidade escolar.

O G1 entrou em contato com o Conselho Tutelar de Caseara, mas o órgão ainda não se pronunciou sobre o caso.

Fonte G1

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on google
Share on linkedin

Comente com o Facebook

Mais de